sexta-feira, 5 de agosto de 2011

1º Dia de Trabalho e de Lazer

Mardi, le 5 juillet 2011

No post de hoje:

  1. Um trabalho frustrante e uma ducha fria
  2. Um almoço da hora
  3. Vídeos e Fotos
            Terça, meu primeiro dia de pedreiro. Fora do centro nós não fizemos muita coisa, o trabalho estava concentrado num pequeno jardim lá dentro, no qual deveríamos aplainar a terra seca e batida com as picaretas, rastelos, pás etc. A terra estava MUITO seca e muito dura, e logo já deu pra perceber um pouco da dificuldade que seria lidar com os jovens. Enquanto Romain (o chefe de obras) explicava o que deveríamos fazer e o cuidado que deveríamos ter com os equipamentos, Ramzi mete o pé numa das árvores e dá dois empurrões. Perguntavam: “Por que você fez isso, Ramzi?”, e ele: “Hmpf”. Logo depois, a Kelly com a picareta na mão, balançando como uma louca de cima pra baixo (não pra brincar, pra trabalhar, mas com uma falta terrível de destreza) eu pensei: “Pronto, essa menina vai me matar com esse negócio!”, fiquei o mais longe possível. Nossa, eu não tinha jeito algum com aquelas ferramentas, era terrível! “Cadê o jardim que a gente devia plantar e colocar os regadores automáticos?”. Mal sabia eu que a pior notícia ainda estaria por vir...
            Eu me sentia um idiota mexendo com aquelas coisas, e não conseguia perfurar 1cm que fosse, não conseguia puxar a terra com o rastelo, não conseguia fazer nada! Não sabia em que posição ficar, não sabia com que mão segurar a picareta, não sabia nada! Durante o intervalo (que eu nem sabia que teríamos) eu fiz a primeira filmagem e tirei as primeiras fotos. Aliás, santo intervalo! Tomávamos água fresquinha, xarope de menta ou nozes (como groselha), comíamos biscoitos e, por 15min, nós fazíamos de conta (em silêncio) que não trabalharíamos mais.
            Após o intervalo, a coisa melhorou um pouquito, já me sentia um pouco mais seguro. Terminado o primeiro dia de trabalho, tive direito à minha ducha fria! AAAAHHH! Sim, ducha fria, todos os dias de chantier. Deveria aquecer, a instalação estava feita, no entanto, não aquecia. Foi difícil, não pensei que me acostumaria tão rápido.
            Então, almoçamos, uma refeição saudável (como todos os dias, aliás, pois havia um pequeno restaurante bem perto que preparava nossas marmitas). Comemos legumes, carne, eu acho e infelizmente só fui rever uma coisa chamada arroz lá pelo dia 19. Após a refeição sempre tem queijo! Os mineiros iriam adorar... Queijo e pão. E sempre havia uma sobremesa também, iogurte ou algo parecido. Quanto à alimentação, só senti falta mesmo é do arroz.
            Após lavarmos a louça e arrumarmos as coisas, partimos para Giens, fazer uma caminhada de 3:30h, que não fizemos, pois Kelly não queria andar de jeito algum “C´est une blague!” (É piada!), ela dizia, e acabamos por apenas visitar a praia que não tinha areia, e sim um negócio que mais parece (hoje eu acho) casca de cebola! Agora fiquem com o vídeo e as fotos!


Jaison trabalhando no jardim interno



Ramzi na praia da "Quase-Ilha de Giens"

Raízes sobre as pedras (que mais pareciam árvores petrificadas)

Pedras esquisitas

Djamel e Ramzi, sempre espirrando água um no outro!

Son-Ca quando conseguiu entrar na água (gelada!)

Djamel saindo da água

Son-Ca, também desistindo do mar

Mallorie e Kelly tomando sol

Minha toalha sobre as "cascas de cebola"

Ramzi e Djamel no cais

Kelly e Mallorie (pouco antes do cão chegar e Kelly dar um grito!)

Mallorie e o vira-lata (me perdoem os defensores dos animais)

Son-Ca, Ramzi e Djamel, no porto

A montanha que víamos todos os dias, do chantier

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, fico contente que deseje fazer um comentário. Seja claro e respeitoso, assim todos poderemos tirar um bom proveito! Até mais...